Acorda Brasil! Nossa floresta a Amazônia, está sendo exterminada!

Não é de hoje que relatos são escritos sobre o desmatamento da floresta Amazônica. A pecuária vem tomando espaço pelo grande consumo de carnes e derivados.

O avanço do agronegócio cuja cultivo da soja vem avançando em grandes extensões de terra gerando a construção de vias de acesso, infraestrutura além da remoção indevida ou pressionada dos colonos.

Como se percebe, esses dois exemplos já são problemas ambientais que estão diretamente ligados à sobrevivência da floresta Amazônica. Temos a obrigação de promover ações urgentes, desenvolver propostas ambiciosas para que haja um equilibrio em todas as partes.

A sobrevivência da floresta depende do quanto o homem tem consciência de que faz parte dela e não ser proprietário.

 

Acorda Brasil .... está acabando!!!

Referência do texto da Revista Filantropia – On-Line – n˚ 70, Blog Bio Terra.

A Riqueza chamada Natureza.

“Alimento o ciclo terrestre,

O bem-estar de todo ser,

Para uns sou respeitada,

Para outros, explorada”.

 

“Pensam que sou um tesouro,

De riqueza infinita,

Com tanta beleza e fartura,

Com coragem então eu GRITO:”

              “- Meu fim está chegando!”

 

A Fonte3  Escultura em metal reciclado. Minha autoria, 2017.

 

Sambando na Via!

Pois é, há ciclistas que confiam no ‘samba’ na rua que pedala.

No caminho do meu trabalho, passou um cilcista pedalando na faixa amarela que divide simbolicamente a via em duas direções. Inacreditável a coragem e ousadia do rapaz. A Rua das Laranjeiras na Cidade do Rio de Janeiro é uma via muito movimentada. Conecta o Bairro Largo do Machado ao acesso do Túnel Rebouças. Muito estreita em relação ao intenso fluxo por situar em um bairro tipicamente residencial com comércio e escolas.

Mas o imprudente ciclista desprovido de responsabilidade arriscava a sua vida ‘sambando’ entre os carros que passavam. Tudo bem que essa atitude fosse uma carência, mas porque envolver terceiros provocando possíveis colisões? Há uma ciclovia nessa rua.

É difícil mesmo compreender: se não tem ciclovia reclamam da falta, se tem – ignoram!

Infelizmente existe cidadão mal-educado sem respeito ao próximo.

IMG_7839

 

Preto e branco – um par perfeito decorando banheiro.

É verdade que usar a cor preta em certos ambientes não são bem vindos. O preto é uma cor poderosa, forte que rouba a cena quando usada exageradamente. O ambiente em questão é um banheiro suíte para um jovem empresário. Por escolha do cliente, a cor preta foi aplicada nos acabamentos da bancada e da banheira, destacando também o assento do vaso cubo da Deca. A cor branca predominante no ambiente sugere limpeza, tranquilidade. É eficaz no combate do stress.

A iluminação indireta adotada transforma o ambiente acolhedor e relaxante.

 

 

SuiteVinicius      foto2

Lavabo com charme.

Lavabo rosa

 

O Lavabo muitas vezes desperta certo charme em nossas casas. Por ser um ambiente pequeno, o encanto se manifesta na escolha dos acabamentos como papel de parede, a cuba, a torneira reveladas por uma iluminação aconchegante. O uso da luz indireta preenche o ambiente sem ofuscar. Vale lembrar a utilização de lâmpadas que emitem luz de cor amarela ou confort pois as azuladas deixarão o ambiente frio. Fica interessante destacar um adorno com o uso de uma iluminação direcionada através da lâmpada dicróica. No ambiente da foto acima, destaquei a cuba de vidro.

Cácere Privado.

Somos prisioneiros do mundo atual. Problemas sociais como desemprego, falta de moradia, educação qualificada, disputas territoriais entre outros, são fatores que resultam em uma série de crises e problemas econômicos estimulando a violência urbana em nossas cidades. Medo de ser assaltado, medo de balas perdidas, medo de ser agredido, medo de perder o emprego, medo de não conseguir fechar o mês, medo de chegar atrasado pela falta de transporte, medo da falta de sinal da internet, medo de ser exposto, medo … medo … medo …

Vivemos num Cárcere Privado onde a liberdade é uma utopia.

 

CÁRCERE PRIVADO – Escultura em metal reciclado + madeira de reflorestamento. Minha autoria, 2017.

 

Cárcere Privado