O CANTO, poema.

isabela saramago

O CANTO

Balançava numa árvore
quando um lindo pássaro pousou.
Suas penas de vivas cores
brilhavam, e no verde acenou.

O tempo emudecido,
fitou-o por um segundo.
O pássaro muito sabido
cantou no silêncio provido:

– Cante uma canção
do fundo do coração
sem ritmo ou refrão
solte aos berros sua emoção!

Solte um sorriso
alegre e verdadeiro.
Abrace o paraíso
sem rodeio, por inteiro.

Vida que no tempo existe
faça sentido, cante e ria.
Saia do abstrato, o tempo persiste.
Venha para a vida colorida!”

Isabela Saramago

Isabela Saramago

Sou arquiteta urbanista com especialização em iluminação e sustentabilidade. Cerca de dois anos comecei a desenvolver esculturas como meio de retratar o comportamento humano perante a natureza. Minhas obras são de materiais diversos, sendo a maioria rezíduos sólidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo