A Cidade é para todos!

A cidade é o local onde as pessoas caminham, praticam esportes, fazem compras, trabalham, habitam ou simplesmente local de contemplação. É o palco onde abrigam espaços públicos para as PESSOAS. A diversidade urbana envolve misturas de usos sendo importantíssimo investimentos na infraestrutura com transporte de qualidade, segurança, saneamento, saúde, acessibilidade, parques públicos, vegetação, promovendo principalmente soluções para aproximar o trabalho da moradia. Jaime Lerner descreve, “conquanto a cidade seja também o cenário de trocas econômicas, de produção cultural, de exibição de avanços tecnológicos, de fluxos e deslocamentos, ela é, acima de tudo, o lar da maioria da humanidade.”

Para que as cidades funcionem e sejam atrativas, os aspectos físicos, práticos e funcionais devem estar estruturados. Placas informativas, iluminação apropriada e mobiliário urbano são estratégicas indispensáveis para a qualidade de vida da cidade. Paris, por exemplo, vem adotando uma política centrada na cidade para as pessoas. Várias ações estão acontecendo.

 

Banco público1

 

O mobiliário urbano É essencial para o conforto das crianças, dos adultos e idosos. Seja fixo ou móvel, os assentos devem ser confortáveis e dispostos em caminhadas curtas.

 

praçadescanso

 

Nessa rua no Leblon ( Rio de Janeiro), o banco de madeira na calçada convida o descanso na hora do almoço.

 

Banco públicorio

 

Na Alemanha, bancos foram projetados para também serem utilizados `a noite, com iluminação própria.

Mobiliário urbanoMobiliario1b

 

Em relação a limpeza, nada como aspiradores de lixo para fazer a manutenção.

 

Garirua

 

Infelizmente a cidade foi descuidada perante a prioridade do uso do automóvel. Muitas cidades tem dificuldade em transformar espaços públicos para as PESSOAS. É preciso mapear e avaliar os espaços das cidades a fim de promover soluções para as melhorias necessárias. A vida nas cidades está em constante transformação. Soluções existem, a boa vontade é que falta para a reforma urbana.

Caos Urbano – pedestre X ciclista X atleta (post 01)

A disputa por um espaço nas “ciclovias”cariocas é um sério problema. As vias vermelhas implantadas em vários bairros da cidade coloca  os usuários em constante disputa. É a desigualdade instalada pela ausência de informações, falta de cultura e o pior, educação. A ciclovia, como o próprio nome diz – é uma via para a bicicleta. Diferente de ciclofaixa, onde uma faixa colorida é pintada nas vias de pedestres ou de veículos motorizados.

Não sei se muitos já tomaram conhecimento – a Bicicleta é considerada por Lei (Lei Federal n˚ 12.587/12) “um veículo particular não motorizado classificado como transporte urbano.”(GUIMARÃES, 2012). É fundamental a implantação de infraestrutura adequada – ciclovias segregadas unidirecionais, dispostas paralelamente as vias de passeio com larguras acima de 1,60m para que os pedestres, os atletas, e diversos outros usuários possam circular em harmonia. É claro que o pavimento deve ser o mais liso possível.

Anexei algumas imagens fotografadas na Lagoa Rodrigo de Freitas exemplificando o texto acima.

foto6afoto7a IMG_1007