Arte urbana móvel.

Depois de enfrentar um engarrafamento de uma hora retornando pra casa, paro no posto para um café. Ao sair, vejo uma incrível inusitada pintura, instalação urbana jamais vista aqui no Rio de Janeiro. Quando morava em Miami, era comum ver esse tipo de trabalho. Achei incrível!

Fusca Fusca01 Fusca4

O interior estava revestido com um tecido estampado com caveiras. A alça dos passageiros eram algemas.

O rapaz todo orgulhoso em mostrar vestia socialmente.

Já dizia Oscar Wilde: ” Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe”.

Esse, definitivamente, sabe viver!

ESPERANÇA

 

IMG_0339

 

 

 

Vivo numa cidade

Onde as ruas são dos carros.

Onde a água é mal tratada

Rios como depósito de lixo

Muitas casas sem esgoto

Pessoas inseguras, famintas.

 

 

Eu fui o ontem.                           IMG_0332

Sou o hoje.

Me chamo Esperança!

Por Isabela Saramago, 2018.

 

 

 

 

 

 

                                                                                                                           Esperança, escultura em metal reciclado

                                                                                                                          Minha autoria.

 

 

 

 

 

 

 

MANIFESTO DOS PASSARINHOS.

O belo natural não é vitrine, a beleza natural é vida. Em defesa da Amazônia, das florestas tropicais, das florestas urbanas, de um futuro mais humano e sustentável para todos os seres humanos e desumanos, o Manifesto dos Passarinhos reafirma a importância da proteção das florestas frente ao descontrolado desmatamento abusivo. A ausência de políticas reais e seguras no controle do desmatamento da Amazônia e de outras florestas tropicais contribui para a redução da biodiversidade.

“Senhoras e Senhores, adultos e crianças, apresentamos a delicada situação que estamos vivendo perante a velocidade do desmatamento que assola nosso habitat. Corremos o risco de desaparecer. Não somos um movimento ecológico. Somos seres que vivem e dependem da existência da natureza. Entendemos suas necessidades. Compreendemos que dela são retirados os seus alimentos. Sabemos o quanto é vital o oxigênio que ela lhes dá. A importância da madeira para suas moradias. O prazer e as emoções que batem o coração de vocês. Então perguntamos: por que essa destruição? Nossas árvores são nossos abrigos Vocês convivem com ela, mas ignoram o seu valor. Vocês exploram, deformam, queimam. Depositam os seus lixos. Fazem dela o ouro ilusório estimulando o terror. Vocês abraçam a crueldade. Para que serve uma flor de plástico? E uma folha queimada? Floresta devastada, pássaros mortos, animais encarcerados, crianças famintas são a estetização da vida e do consumo humano? Não somos objetos decorativos. Não somos figuras de cera. Somos arquitetos do nosso patrimônio. Contra o corte e o fogo. As grades e os flagelos. Contra as falácias das vozes. Por um olhar verde, hortas urbanas, piqueniques no parque. Pelo frescor das sombras das árvores, abrigos aos infortúnios Pelo cumprimento das leis de conservação das florestas Caminhem conosco nessa Jornada Verde!”   Isabela Saramago.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

foto4

 

foto6

 

 

 

foto3

 

Foto2 foto10 foto8

Cácere Privado.

Somos prisioneiros do mundo atual. Problemas sociais como desemprego, falta de moradia, educação qualificada, disputas territoriais entre outros, são fatores que resultam em uma série de crises e problemas econômicos estimulando a violência urbana em nossas cidades. Medo de ser assaltado, medo de balas perdidas, medo de ser agredido, medo de perder o emprego, medo de não conseguir fechar o mês, medo de chegar atrasado pela falta de transporte, medo da falta de sinal da internet, medo de ser exposto, medo … medo … medo …

Vivemos num Cárcere Privado onde a liberdade é uma utopia.

 

CÁRCERE PRIVADO – Escultura em metal reciclado + madeira de reflorestamento. Minha autoria, 2017.

 

Cárcere Privado